Home | Festas | Bebê e Infantil | A evolução das festas infantis: um comparativo entre o antes e depois

A evolução das festas infantis: um comparativo entre o antes e depois

Com o passar dos anos, tudo mudou. A comunicação praticamente não é feita mais da forma escrita. As informações chegam mesmo sem ser solicitadas. A tecnologia tomou conta de tudo. E as mudanças chegaram até nas festinhas de aniversário das crianças! Acompanhe a evolução das festas infantis e um relembre um período nostálgico de simplicidade e diversão!

A evolução das festas infantis

Se antes o bacana era preparar aquele bolinho caseiro, sanduíche de atum com maionese e chamar os amiguinhos da rua, hoje as festas infantis são mais glamourosas e contam com serviços diversos, desde manobrista na porta até equipe de animação para a criançada.

Não há absolutamente nada de errado em fazer uma mega festa no capricho. Mas a simplicidade das festinhas do nosso tempo, com aquela correria em casa para encher os balões, o corre corre da criançada para estourar a pichorra (ou pinhata, ou bexigão, como preferir) cheia de doces (e farinha, que maldade!) e a espera do tão aguardado saquinho surpresa com um amontoado de brinquedinhos com status de tesouros já não são a realidade quando o assunto é preparar uma festa infantil.

Antigamente, a maioria dos itens da festa eram preparados em casa mesmo. Os brigadeiros eram enrolados (e comidos!) pela mãe, as tias e os irmãos. Vez ou outra uma vizinha mais prendada na cozinha ajudava com o preparo da torta salgada. A saga para encher bexigas eram revezadas entre os pulmões dos amiguinhos que chegavam mais cedo na festa.

Os presentes se dividiam entre os conjuntinhos de roupas que não agradavam os pequenos, que ficavam de olho mesmo é nas bolas dente de leite e nos jogos de tabuleiro. Quando o regalo vinha caprichado, era o “meu primeiro gravador” ou a bicicleta com cestinho, última geração quando o assunto era andar sobre duas rodas!

Hoje em dia as mães e pais já contam com serviços de organizadores de eventos. Os buffets dão conta de todo o recado: a contratação do serviço geralmente inclui comes, bebes, decoração, distribuição das lembrancinhas e entretenimento das crianças.

A terceirização da organização do evento não é nada mal, já que hoje os dias são mais corridos e cansativos para os pais do que antigamente. Mas fato é que delegar todas as funções da festa podem deixá-la mais impessoal e não totalmente do agrado da criança e pais.

A saída é encontrar o equilíbrio!

+ Dicas para organizar uma festa em 24 horas

+ Dicas de temas e projetos DIY para sua festa infantil

Então, que tal misturar o melhor das duas épocas? Trazer os benefícios da festa de hoje em dia com o aconchego do feito em casa? O bacana é achar um meio-termo para que o evento seja inesquecível para o aniversariante e para a família.

E vamos comemorar! Há uma onda recente que traz de volta aquela energia gostosa da realização da festa caseira. E não somente os aniversários infantis. Os mini weddings estão aí para fortalecer esse resgate da comemoração simples e intimista.

Claro que os eventos, mesmo que com essa pegada de feito em casa, acompanham a evolução das festas infantis. Afinal, quem não quer conferir todos os cliques da festa puxando pela hashtag do evento? Ah, modernidade… você tirou coisas boas, mas também trouxe coisas ótimas!

E, independente da evolução das festas infantis, vale a máxima: faça tudo que for possível para se divertir a valer e eternizar esse momento!

Imagens: Buzzfeed, Decoração do Baile, Pinterest, Ego

Nutricionista de profissão e crafter de coração. Mãe da princesa Maria Alice. É boa de garfo, ama música e não resiste a um garimpo de decor. Cria os acessórios da Flor de Cris e da A Decoradeira. Sempre indecisa, na dúvida acaba levando os dois.

Veja mais posts deste autor.

7 comentários

  1. As festinhas tradicionais e pouco glamourosas ainda existem. Nem todos tem o $$$ dos Justus.

  2. Eu costumo dizer que as melhores festas de aniversário são as das pessoas mais humildes. Não tem buffet infantil que faça uma festa ficar melhor que as festas mais simples com cachorro quente, pipoca…

  3. Moro no interior e aqui graças a Deus as festinhas simples ainda são maioria. Uma ou outra é caprichada o q torna um evento. Ainda fechamos a rua pras festinhas, tudo é bem simples e todos se divertem

    • Cristiane Oliveira

      Ai Vero, que delícia! Fechar a rua para fazer a festinha é para poucos! Lembro-me bem dessas festas, como era gostoso! <3 Beijo!

  4. Tudo bem que hoje em dia as pessoas contratam tudo fácil e prático, mas as festas antigamente envolvia muito mais amor e sentimentos, a família unida realizava as tarefas, lembro dos aniversários que eu ia, a mãe preparava o bolo, a avó os docinhos, o pai e o avô enchiam as bexigas, as tias terminavam a decoração e arrumava a aniversariante, a família unida vê se dava tempo das crianças ou adolescentes se envolverem com problemas como a tal da baleia azul!

    • Cristiane Oliveira

      Ai Juliana, é verdade mesmo… Todos se envolviam para fazer aquela festa no maior capricho! Hoje as tarefas são mais delegadas, o que é bom e ruim ao mesmo tempo. Faz parte também da curtição da festa produção das coisas. Isso acabamos perdendo um pouco com o passar do tempo…

Deixe uma resposta