Home | Negócio Criativo | Excesso de informação pode estar te atrapalhando, sabia?

Excesso de informação pode estar te atrapalhando, sabia?

Será que o excesso de informação é sempre benéfico? Outro dia me deparei com um site cheio de ideias fabulosas de peças feitas em cimento moldado. Achei fantástico! Um mundo de possibilidades se abriu diante dos meus olhos. Selecionei uns 375 modelos de peças lindas e guardei tudo em um board com milhares de outras coisas que eu ainda quero fazer um dia. Comprei o material, separei alguns frascos para os moldes e… Nada!

Excesso de informação pode estar te atrapalhando, sabia?

Excesso de informação pode estar te atrapalhando, sabia?

Simplesmente perdi o ânimo! Comecei a achar que não seria tão simples assim. Que eu precisava de um espaço maior, que precisava de moldes mais adequados. Acabei não fazendo nem uma peça sequer. Isso me deu uma frustração tão grande que eu me senti incapaz até de fazer outras atividades criativas mais simples.

Resumindo: Você está se sentindo sem ideias e corre pra internet buscar alguma solução. Aí fica horas se deliciando e colecionando coisas bacanas mas no fim das contas acaba não fazendo nenhuma delas. E então passa a se sentir pior do que estava quando começou. Você se identificou?

Isso é resultado de excesso de informação e inspiração sem ação.

Este jeito doido de consumir inspiração é a melhor maneira de transformá-la em algo intangível. Isso acontece quando não tiramos nenhum resultado palpável do trabalho e tempo investidos colecionando informações.

Resultado é imprescindível pra nos manter entusiasmados e confiantes de que podemos fazer algo bacana.

No exemplo acima, se eu tivesse trabalhado um pouco com o cimento fazendo uma peça enquanto pesquisava, certamente eu teria mantido o entusiasmo por mais tempo. Ou então desistido logo e não perdido tanto tempo com algo que eu nem levaria adiante. E no nosso negócio acontece a mesma coisa!

Excesso de informação nos negócios

A gente fica obcecado por buscar soluções pra aumentar as vendas, ter mais curtidores, precificar corretamente etc. Com isso iniciamos uma caçada insana pela melhor resposta para um problema.  Lemos de tudo, fazemos cursos e no fim acabamos aplicando muito pouco do que vimos. E esse excesso de informação fica armazenado na cabeça, só ocupando espaço e não nos leva a lugar algum.

Enquanto estamos naquela busca ferrenha, aquele entusiasmo do início vai diminuindo e se transformando em: “talvez eu não consiga fazer tudo isso”, “tem muita coisa pra fazer pra eu ter um negócio”, “eu não sei fazer um site”, “tenho que aprender a mexer com as mídias sociais”, “eu trabalho o dia inteiro” etc.

Você se sente fantástico por um tempo e logo em seguida se sente paralisado porque sua única ação foi pesquisar mais e mais buscando aquela foto ou um artigo perfeito que vai fazer você encerrar as buscas.

O problema é que não existe a “resposta certa” pronta pra você. Você pode gastar todos os neurônios buscando na internet a melhor maneira de fazer “xyz” e talvez nunca encontre! Você só vai ter mais clareza sobre qual é a melhor resposta, agindo.

Cadê os resultados?

Se você tomar uma atitude no exato momento em que está inspirado, certamente o desenrolar do processo vai ser mais tranquilo. Isso porque todos estes fantasmas e “mimimis” não vão ter chances de boicotar o seu entusiasmo. Agindo em seguida, você começa a obter resultados logo e esses resultados te dão confiança pra continuar.

Mas ao invés disso você corre o risco de se boicotar e ficar aí se comparando com as pessoas que num primeiro momento te inspiraram, aquelas pessoas que conseguem fazer o que você gostaria de fazer e acaba se sentindo um total inútil. E inspiração não deveria causar esse tipo de efeito, certo?

Os efeitos colaterais

Se uma inspiração não é seguida de uma ação, normalmente ela não se dissipa como fumaça no ar fazendo você voltar a se sentir como se ela nunca tivesse aparecido. O que acontece muitas vezes é que ela se aloja dentro de você e se transforma em julgamento ou inveja.

Funciona assim:

Depois de lotar sua cabeça de informações e inspirações, você fica paralisado por não saber por onde começar. Então você se sente mal por isso e chega à conclusão de que você não está à altura daquela inspiração e que te falta muita coisa pra realizar aquilo tudo. Percebeu a transição?

O perigo é você passar a desejar ter aquilo que as pessoas que te inspiraram têm e se focar no fato de você não aquilo. Olha as malditas da comparação e inveja aí.

A razão pra que aquelas pessoas tenham o que você não têm é muito simples. Normalmente estas pessoas tomaram alguma ação pra fazer o que queriam. Simples assim! Quando você começa a focar demais nas coisas que você não tem, você mata a sua confiança.

E com isso você se torna incapaz de tomar as atitudes necessárias para construir o negócio e a vida que você quer ter.

Inspiração não é nada sem ação. E ação não acontece sem confiança.

Buscar referências, exemplos e inspirações é maravilhoso. Mas pode ser perigoso se não for transformado em ação. Inspiração é inalação, é aspiração. Quando inspiramos o oxigênio, estamos colocando o ar pra dentro pra que ele se transforme em energia, certo?

Com as coisas que nos inspiram a mecânica é a mesma. A gente consome ideias que outras pessoas tiveram e em algum ponto a gente precisa exalar. Precisa passar da fase de consumir informação para transformar isto em energia, em ação.

Sabia que podemos morrer intoxicados pelo próprio ar caso ele não seja expirado? E o que vai acontecer com você se consumir mais inspirações e informações sem fazer nada com elas? Coisa boa é que não é. Então bora liberar essa inspiração toda aí dentro pra não ter uma intoxicação?

Cada ação realizada vai te levar a se sentir mais e mais confiante, acredite!

Clarissa De Bem

Clarissa é uma artista múltipla. Descobriu desde criança a paixão por todo tipo de expressão artística. Arquiteta por formação ela já se aventurou por diversas áreas da arquitetura, do design gráfico, da dança, das artes plásticas e da decoração de festas.

E no desenrolar dos seus negócios criativos descobriu mais uma paixão, o marketing autêntico (ou de propósito). Hoje divide seu tempo entre sua arte no Clarissa De Bem e compartilha seu conhecimento e experiências no Projeto Fim do Mi-mi-mi Para Negócios Criativos. Em meio a isso tudo criou o Congresso Online Viver de Craft para quem quer ter um negócio criativo de sucesso. E sabe-se lá o que ainda vem por aí!

21 comentários

  1. Amei o texto.Parabéns!

  2. Que bom que gostaste, Susana! Fico bem feliz!! Espero que goste dos próximos também. Beijos

  3. Vania de Souza

    Amei o texto e estou me sentindo assim preciso colocar tudo isso para fora agora.Obrigada por esse incentivo. ;)

  4. Olá. Resolvi que já era hora de começar o meu negócio criativo. E quanto tomei essa resolução vi exatamente o que queria. Mas como mostra o artigo vi tanta coisa, tanta gente fazendo coisas super legais que comecei a pensar se deveria continuar com meu projeto. Seu artigo diz exatamente como me sinto e me fez ver que realmente não posso ficar procrastinando uma ação na direção de fazer acontecer algo. Obrigada.

    • Oi Luzia! Que bom que você se deu conta do que estava acontecendo. Pequenas ações vão te trazendo a confiança que você precisa. Não desista por tão pouco. Força aí!

  5. Rosangela M Veziane

    Ótima explanação. E é isto mesmo. A gente começa a consumir informações e não sai do lugar. E a sensação é frustrante, de fracasso e medo. Obrigada . Saber que é normal este desfecho nos faz ficar mais atentos e nos policiarmos

    • Oi Rosangela! O medo do fracasso sempre vai nos rondar, ele só não pode nos deixar paralizados e as pequenas ações vão nos deixando mais confiantes para ir adiante. Ah, e todo mundo sofre desses mesmos medos, viu! Não se sinta sozinha. ;)

  6. Kkkkkk me identifiquei! Adorei o texto! Beijos e obrigada!!

  7. Nossa esse texto caiu de paraquedas para mim, eu ando assim…desanimada! Foi muito bom ler esse texto. Fez eu rever tudo. Me aguarde. beijos

  8. Nossa esse texto me caiu como uma luva, eu estou passando por isso. Foi muito bom lê-lo. Me fez pensar e refletir. Obrigada. Beijos

    • Fico feliz que tenhas gostado, Kakau! Pense, reflita e não esqueça de agir sempre, nem que seja aos pouquinhos. O importante é não ficar parada. Beijos!

  9. Nooouuuussssaaa, voce me descreveu perfeitamente.
    Tenho milhares de pins arquivados, dezenas de moldes impressos, assinatura de varios video aulas no Eduk, e as vezes sento na frente da minha maquina de costura e fico horas “escolhendo” um tecido pra começar e não começo.
    Obrigada pelo texto.

    • Que bom que você se identificou, Marcia! Que tal colocar toda essa inspiração para trabalhar, hein? Escolhe algo dentre tantas opções indas que você tem e se experimenta. Não fique parada, não! Boa sorte!

  10. Muito bom o texto, amei as dicas. Obrigada

  11. Thaiane Assis

    Poxa, como eu precisava ler isso! Obrigada!