Home | Bebê e Infantil | Gravidez na quarentena, e agora?

Gravidez na quarentena, e agora?

Muitas famílias aumentarão de tamanho após essa quarentena! Seja por uma programação familiar ou por uma gravidez inesperada, fato é que você certamente conhece alguma futura mamãe (ou será que a futura mamãe é você que está lendo agora?!). E engravidar em tempos de pandemia traz muitas incertezas e receios. Mas há recomendações especiais para as gestantes que devem ser seguidas à risca. Vamos falar um pouquinho delas abaixo.

View this post on Instagram

Retratos de uma espera 📸 @tomasbertoni

A post shared by Titi Müller (@titimuller_) on

Gravidez na quarentena

Como as gestantes e puérperas foram incluídas no grupo de risco para o coronavírus, todo cuidado deve ser tomado. Como o Covid-19 é uma doença nova e pouco se sabe sobre ela, não há certezas sobre o comportamento do vírus na grávida, mas aparentemente a gravidez também não é um fator que aumente o risco de contaminação ou de complicações decorrentes da doença.

Calma, respira. Vai dar tudo certo!

As incertezas de uma gestação já são esperadas por mães e pais. Mas o combo adicional de isolamento social + economia incerta + risco de contaminação acaba trazendo uma ansiedade ainda maior para as futuras mães. O momento é delicado, com certeza, mas com algumas adaptações, há de se levar uma gestação tranquila e segura até a reta final.

O principal ponto para evitar a contaminação é o isolamento social. Ou seja, se é de rotina da grávida usar transporte público, por exemplo, é necessário reavaliar nesse momento. Claro que sabemos que nem sempre é uma opção, mas se possível, vá de carona ou tente se expor minimamente, sempre utilizando os recursos de proteção como a máscara e fazendo higienização com álcool em gel constantemente.

Outras práticas que devem ser evitadas ao máximo é aquela clássica ida ao mercado, à farmácia ou a qualquer lugar que possa ocorrer aglomeração. Saídas possivelmente, só pontuais mesmo, para exames e consultas.

 

Via de parto

Com a pandemia do coronavírus, muitas mães (e médicos) optaram por agendar o parto. A indução é feita por cesárea na maioria das vezes, mas ainda a via de parto mais segura é a vaginal. Assim, a mãe se recupera mais rápido e o bebê conta com a imunidade adquirida durante o parto normal.

Amamentação

A amamentação pode e deve ocorrer normalmente. pois o leite é o principal fornecedor de imunoglobulinas para o bebê. Se houver qualquer suspeita de contaminação pelo coronavírus, fique de máscara o tempo que puder, principalmente durante a amamentação.

Para acalmar, registre tudo!

Uma dica para lidar melhor com os sentimentos durante o período da gravidez e também perante as incertezas desse momento é criar um diário da gravidez. Escreva tudo, as sensações, as conquistas diárias, as sensações físicas e principalmente, as emocionais. Vale a pena!

 

Nutricionista de profissão e crafter de coração. Mãe da Maria Alice. É boa de garfo, coleciona chocolates (na barriga, claro), ama música, podcasts e não resiste a um garimpo de decor (espia no @adecoradeira!). Sempre indecisa, na dúvida acaba levando os dois.

Veja mais posts deste autor.