Home | Casa | É pop: patchwork!

É pop: patchwork!

A arte de cortar tecidos e montar composições data do antigo Egito, quando já podiam ser vistas criações com retalhos nas vestimentas de faraós e decorações em pirâmides. Acreditam? Desde esta época, a técnica de juntar padronagens e criar módulos só evoluiu. Nos EUA, a modalidade sempre foi popular entre as costureiras, mas foi na década de 70 que o patchwork se tornou popular, com o movimento hippie. O que começou com reaproveitamento de retalhos, ganhou o mundo e os produtos e técnicas se refinaram.

As fãs do patch têm tecidos especiais, estão munidas de tábuas de corte, cortadores circulares, compassos, entretela, gabaritos… O universo é vasto e une crafters de vários países em torno de “blocks” e variações que tomaram conta do patchwork contemporâneo.

A matemática do patch: quem pensa que juntar quadrados é coisa simples, engana-se. O quebra-cabeça pode ser complexo e exige o cumprimento de regras. As praticantes do patchwork tradicional guiam-se por modelos de blocos, mosaicos compostos por quadrados e tiras que formam blocos de nove ou quatro partes, estrelas, rosas, cruzes. Os modelos são internacionais e há desafios e grupos mundiais para apresentação destes trabalhos.

Patchwork livre: além dos blocos que compõem mantas, painéis, fronhas, a técnica permite a criação de objetos tridimensionais ou peças funcionais como jogos americanos e capas. As junções e aplicações de tecidos possibilitam o desenho de figuras que são bastante usadas e transmitem culturas regionais. Os trabalhos mineiros, exemplo, têm  forte presença de elementos rurais e festas folclóricas. Já os exemplares do patch mais contemporâneo faz da arte com retalhos mais abstrata e imprecisa.

Os retalhos invadem o mobiliário: além das almofadas em sofás, a técnica alia-se ao restauro e atualização de móveis. Os estofados de pufes e poltronas ganham mosaicos de retalhos, que estendem-se para os pés e detalhes em madeira. É a técnica tradicional sendo reinventada no dia-a-dia. Abaixo, a arte da Ana Morelli ilustra este tendência.

Nossos elosetters oferecem uma porção de criações em patch. Se ficou com vontade de ter uma peça elaborada em sua casa, clique aqui para uma variedade de mantas e kits de berço ou neste link para uma infinidade de produtos para o dia-a-dia.

Imagens: produtos Ateliê Pinta e Borda, produtos Fio a Fio, produtos Mimo Patchwork, produtos Pedaços de Minas, Lu Gastal, Moda Bake Shop, Ana Morelli.

string(182) "https://www.elo7.com.br/campanha/elo7-top-decoracao?mktSort=plusCurated&utm_source=blog&utm_medium=carrossel&utm_content=lista_decor_casa&utm_campaign=carrossel_decor"
Com antena ligada para novidades e tendências 7 dias por semana, paulistana vivendo em Ilhabela, é produtora de conteúdo criativo freelancer há seis anos, formada em Publicidade e Propaganda na ECA-USP, com especialidade em mídias digitais pela FGV. Autora do blog Colacorelinha , redatora do Blog do Elo7, gerenciadora de marcas na web e fã convicta de suculentas e sua força.

Veja mais posts deste autor.

4 comentários

  1. Maria Celeste Galvani

    Gostei muito da matéria sobre o Patchwork. Além das informações importantes sobre técnicas, e materiais usados, tem lindos produtos expostos. Parabéns…

  2. Maria Celeste Galvani

    Gostei muito da matéria sobre o Patchwork. Além das informações importantes sobre técnicas, e materiais usados, tem lindos produtos expostos. Parabéns…

  3. Maria Celeste Galvani

    Gostei muito da matéria sobre o Patchwork. Além das informações importantes sobre técnicas, e materiais usados, tem lindos produtos expostos. Parabéns…

  4. Sempre gostei dessa arte,qd mais nova ñ tinha tempo,sempre cuidando de pessoas q precisavam de mim e agora tenho tempo mas ñ tenho saude para executar ess trabalho tão lindooo…….