Home | Faça você mesmo | E viva as ecobags!

E viva as ecobags!

O assunto da semana é sacolinha de compras. Independente da polêmica sobre ter ou não ter sacolinha plástica gratuita nos supermercados (você é favor ? é contra ?) a gente aqui já aderiu às ecobags faz um bom tempo. Além de serem ecológicas são muito mais charmosas!

Separamos alguns PAPs que ensinam a fazer sacolas de tecido, para você se inspirar. Quem sabe não é uma boa oportunidade para acrescentar uma ecobag bem bacana na linha de produtos da sua marca?

PAP da ecobag dobrável da Ju Ateliê,  para o blog do Elo7

PAP em video de ecobag dobrável, do Ateliê Entre Cores para o Blog do Elo7

Ecobag dobrável,  menorzinha mas não menos charmosa,  do Como Faz

Sacola que vira carteira, em inglês mas bem explicadinho, do Sew Mama Sew.

Ecobag feita com sacolinhas plásticas fundidas, da Vila do Artesão.

Varie a composição de tecidos (que tal de poás ? ou xadrez  de piquenique?) e acrescente detalhes legais para criar uma ecobag única, com a cara da sua marca.

Sobre Elo7

Somos um time que é apaixonado por tudo que é criativo e feito à mão. Aqui no blog, trazemos dicas diárias para inspirar e ajudar no seu negócio criativo! Também organizamos oficinas e encontros em todo o Brasil. Conheça o Elo7!

Veja mais posts deste autor.

15 comentários

  1. A questão das “sacolas plásticas” é muito séria. Envolve além da poluição o comércio de sacolas “ecológicas” que estão sendo importadas por uma empresa que as compra do trabalho escravo do Vietnã e da China. Nós temos condições de produzir essas sacolas no Brasil gerando empregos e renda para nosso país.
    Por essa razão, fazer nossa própria Ecobag vai além de sermos chiques e corretos. Parabéns pela iniciativa.

  2. A questão das “sacolas plásticas” é muito séria. Envolve além da poluição o comércio de sacolas “ecológicas” que estão sendo importadas por uma empresa que as compra do trabalho escravo do Vietnã e da China. Nós temos condições de produzir essas sacolas no Brasil gerando empregos e renda para nosso país.
    Por essa razão, fazer nossa própria Ecobag vai além de sermos chiques e corretos. Parabéns pela iniciativa.

  3. A questão das “sacolas plásticas” é muito séria. Envolve além da poluição o comércio de sacolas “ecológicas” que estão sendo importadas por uma empresa que as compra do trabalho escravo do Vietnã e da China. Nós temos condições de produzir essas sacolas no Brasil gerando empregos e renda para nosso país.
    Por essa razão, fazer nossa própria Ecobag vai além de sermos chiques e corretos. Parabéns pela iniciativa.

  4. A questão das “sacolas plásticas” é muito séria. Envolve além da poluição o comércio de sacolas “ecológicas” que estão sendo importadas por uma empresa que as compra do trabalho escravo do Vietnã e da China. Nós temos condições de produzir essas sacolas no Brasil gerando empregos e renda para nosso país.
    Por essa razão, fazer nossa própria Ecobag vai além de sermos chiques e corretos. Parabéns pela iniciativa.

  5. Bem polêmicas as tais sacolinhas plásticas. Eu, particularmente, sempre as reutilizo para organizar objetos em casa, embalar calçados para viagem, além do famoso embalar o lixo doméstico (aí já entra a questão da biodegradabilidade). As que sobram, ponho para reciclar ou eu mesma reciclo com técnica que aprendi aqui na internet.

    Bem, quanto às sacolas retornáveis (não sou muito chegada ao termo “ecobags”), realmente são muito mais bonitas, duráveis e, afinal, há até poucas décadas não sobrevivíamos sem as tais sacolinhas plásticas, uai? Mas realmente a coisa não é tão simples assim, há muita questão consumista envolvida nas ‘ecobags’ tb – começando pelo nome. Há muitas empresas nada ecológicas vendo aí apenas mais um nicho de mercado, o da onda verde. Concordo integralmente com  a Maria Cristina, quando diz que a produção local das sacolas é muitíssimo mais “ecologicamente correta”.

    Parabéns ao Elo7 e aos artesãos envolvidos, pela divulgação e incentivo.

  6. Bem polêmicas as tais sacolinhas plásticas. Eu, particularmente, sempre as reutilizo para organizar objetos em casa, embalar calçados para viagem, além do famoso embalar o lixo doméstico (aí já entra a questão da biodegradabilidade). As que sobram, ponho para reciclar ou eu mesma reciclo com técnica que aprendi aqui na internet.

    Bem, quanto às sacolas retornáveis (não sou muito chegada ao termo “ecobags”), realmente são muito mais bonitas, duráveis e, afinal, há até poucas décadas não sobrevivíamos sem as tais sacolinhas plásticas, uai? Mas realmente a coisa não é tão simples assim, há muita questão consumista envolvida nas ‘ecobags’ tb – começando pelo nome. Há muitas empresas nada ecológicas vendo aí apenas mais um nicho de mercado, o da onda verde. Concordo integralmente com  a Maria Cristina, quando diz que a produção local das sacolas é muitíssimo mais “ecologicamente correta”.

    Parabéns ao Elo7 e aos artesãos envolvidos, pela divulgação e incentivo.

  7. Bem polêmicas as tais sacolinhas plásticas. Eu, particularmente, sempre as reutilizo para organizar objetos em casa, embalar calçados para viagem, além do famoso embalar o lixo doméstico (aí já entra a questão da biodegradabilidade). As que sobram, ponho para reciclar ou eu mesma reciclo com técnica que aprendi aqui na internet.

    Bem, quanto às sacolas retornáveis (não sou muito chegada ao termo “ecobags”), realmente são muito mais bonitas, duráveis e, afinal, há até poucas décadas não sobrevivíamos sem as tais sacolinhas plásticas, uai? Mas realmente a coisa não é tão simples assim, há muita questão consumista envolvida nas ‘ecobags’ tb – começando pelo nome. Há muitas empresas nada ecológicas vendo aí apenas mais um nicho de mercado, o da onda verde. Concordo integralmente com  a Maria Cristina, quando diz que a produção local das sacolas é muitíssimo mais “ecologicamente correta”.

    Parabéns ao Elo7 e aos artesãos envolvidos, pela divulgação e incentivo.

  8. Bem polêmicas as tais sacolinhas plásticas. Eu, particularmente, sempre as reutilizo para organizar objetos em casa, embalar calçados para viagem, além do famoso embalar o lixo doméstico (aí já entra a questão da biodegradabilidade). As que sobram, ponho para reciclar ou eu mesma reciclo com técnica que aprendi aqui na internet.

    Bem, quanto às sacolas retornáveis (não sou muito chegada ao termo “ecobags”), realmente são muito mais bonitas, duráveis e, afinal, há até poucas décadas não sobrevivíamos sem as tais sacolinhas plásticas, uai? Mas realmente a coisa não é tão simples assim, há muita questão consumista envolvida nas ‘ecobags’ tb – começando pelo nome. Há muitas empresas nada ecológicas vendo aí apenas mais um nicho de mercado, o da onda verde. Concordo integralmente com  a Maria Cristina, quando diz que a produção local das sacolas é muitíssimo mais “ecologicamente correta”.

    Parabéns ao Elo7 e aos artesãos envolvidos, pela divulgação e incentivo.

  9. Teresa Aquino

    Eu faço e vendo na Elo7 as ecobags dobráveis que se tornam carteiras, ao serem fechadas. Fazem o maior sucesso por aqui. Acho que todos devem parar de usar sacolinha plástica. Não muito tempo atrás, elas nem existiam e não usávamos. É questão de atitude!

  10. Teresa Aquino

    Eu faço e vendo na Elo7 as ecobags dobráveis que se tornam carteiras, ao serem fechadas. Fazem o maior sucesso por aqui. Acho que todos devem parar de usar sacolinha plástica. Não muito tempo atrás, elas nem existiam e não usávamos. É questão de atitude!

  11. Teresa Aquino

    Eu faço e vendo na Elo7 as ecobags dobráveis que se tornam carteiras, ao serem fechadas. Fazem o maior sucesso por aqui. Acho que todos devem parar de usar sacolinha plástica. Não muito tempo atrás, elas nem existiam e não usávamos. É questão de atitude!

  12. Teresa Aquino

    Eu faço e vendo na Elo7 as ecobags dobráveis que se tornam carteiras, ao serem fechadas. Fazem o maior sucesso por aqui. Acho que todos devem parar de usar sacolinha plástica. Não muito tempo atrás, elas nem existiam e não usávamos. É questão de atitude!