Home | Negócio Criativo | Histórias de Sucesso | A primeira costura a gente não esquece! Conheça a Repik

A primeira costura a gente não esquece! Conheça a Repik

A entrevistada criativa de hoje é a Luciane Santolini, paulista, formada em Design Gráfico. A Lu é a empreendedora da Repik Criativo e conta como surgiu sua paixão logo com a primeira costura. Acompanhe a história da artista e se inspire também!

a primeira costura
Lu Santolini, criativa da loja Repik

A primeira costura a gente não esquece!

Quando pequena via minha mãe costurar e morria de vontade! Mas ela achava perigoso, então só consegui fazer minha primeira costura à máquina na pré-adolescência. Guardo até hoje: um saquinho de tecido com uma amarração de tiras, que me realizou tanto que pintei nele o meu nome, com tinta pra tecido. Depois segui fazendo coisinhas pra mim, eventualmente (quando ela deixava…).

A primeira peça costurada pela Lu: recordação guardada com carinho

Anos mais tarde, pedi ao meu marido uma máquina de costura de aniversário. Voltei a fazer peças como hobby, pois adorava aquilo! Meu primeiro negócio criativo (Repik) foi surgir bem mais tarde, em abril de 2013. Primeiramente a motivação foi para complementar minha renda, mas logo vi que era nesse segmento que eu queria continuar, então fui fazendo a transição.

Produtos projetados com carinho para bebês e crianças

Organização para ir ao alto e avante!

O foco do negócio da Luciane hoje são os sapatinhos de bebê, e ela compartilhou com a gente um pouco de seu processo criativo.

Para os sapatinhos eu procuro criar coleções, o que funciona bastante. As composições de tecidos e materiais dão o caminho, então adapto aos modelos que tenho e também procuro sempre lançar modelos novos. Todos os modelos da minha loja foram desenvolvidos pela Nanda Sellan, mas quem sabe um dia eu não me arrisco a criar meus próprios modelos? Tudo é possível.

E para os empreendedores criativos, um recado

Dedique-se. Durma e acorde buscando melhorar, se aprimorar, se destacar e conquistar mais e mais clientes!

Administre seu negócio. Se não sabe por onde começar, busque orientações e cursos, mas não deixe de lado. A visão empreendedora é importante para a tomada de decisões, é ela que norteia para onde você deve seguir. Tenho colhido os frutos dessa dedicação de 2015 pra cá, quando me formalizei e fiz da gestão do meu negócio uma parte vital da rotina do ateliê.

A evolução da Repik Criativo e as oportunidades que surgem no decorrer do caminho

A loja começou tímida, mas cheia de vontade! Busquei colocar minha experiência em Design pra criar uma comunicação visual bacana, fazer boas fotos e fui me divulgando. Depois de um tempo fazendo lembrancinhas em feltro, senti que podia ir mais adiante, no sentido de uma realização maior. Os cursos da Eduk então me abriram um mundo de possibilidades! Criei coragem e comecei a fazer pequenas peças em costura, patchwork e, finalmente, os sapatinhos de bebê.

Nesse caminho o Elo7 sempre me ajudou, apoiou, orientou, foi a parceria perfeita. Em 2016 participei pela primeira vez de várias coisas: dei oficinas, participei de um bazar, fiz vídeos de Passo a Passo (Parceria Elo7 e Singer), ajudei nos testes com o aplicativo para vendedores e até uma chamadinha pro décimo Bazar eu fiz (isso eu precisei de coragem, admito rs!).

A experiência adquirida e o retorno foram incríveis, só posso agradecer. E torcer pra 2017 ser igualmente estimulante, desafiador e divertido!

E a gente do lado de cá também está na torcida para que seu negócio seja sempre um sucesso, Lu! E a primeira costura sua, qual foi? Conte para nós aqui nos comentários!

Para conhecer mais os produtos cheios de capricho da Repik Criativo, clique aqui.

+ Veja mais histórias de empreendedores de sucesso

+ Dica de leitura: How to be a Wildflower

bool(false)
Nutricionista de profissão e crafter de coração. Mãe da princesa Maria Alice. É boa de garfo, ama música e não resiste a um garimpo de decor. Cria os acessórios da Flor de Cris e da A Decoradeira. Sempre indecisa, na dúvida acaba levando os dois.

Veja mais posts deste autor.

Um Comentário

  1. Priscila N Carvalho

    Muito inspiradora essa história.