Home | Negócio Criativo | Desenvolva seu Negócio | Como fazer peças personalizadas ou sob encomenda?

Como fazer peças personalizadas ou sob encomenda?

produtos sob encomenda ou personalizados

Você que trabalha fazendo produtos artesanais, mesmo à pronta entrega, já deve ter recebido algum pedido de cliente solicitando modificações na peça ou até mesmo um produto totalmente novo. Já passou por isso? Eu já. E vou dizer que é tentador fazer as mudanças que os clientes pedem, afinal, é garantia de retorno imediato.

Mas fazer peças diferentes das que você está acostumada requer mudanças na rotina de trabalho, que podem acabar atrapalhando o seu negócio criativo. Por outro lado, receber o feedback dos clientes, suas opiniões sobre nossos produtos é muito bom, pois faz com que a gente produza itens muito mais práticos para eles, com funções que agregam valor e até mesmo nos diferenciam dos demais concorrentes.

Pode ser um ótimo negócio ou nó na sua produção (como o gatinho ali acima). Tudo vai depender de como você irá lidar com a situação, do tipo de cliente que você quer atingir e é claro, da sua vontade também. Vou contar um pouco sobre como acontecia comigo:

Quando eu vendia roupas para minha marca, lançava coleções. Muitas pessoas compravam as peças que eu havia planejado, mas muitas outras também solicitavam alterações. Recebia emails frequentes com alguma das perguntas abaixo (aposto que você também já vivenciou isso):

  • Faz a mesma peça em outra estampa?
  • Faz o mesmo modelo para criança?
  • Tem como colocar um bolso?
  • Você também faz vestido de noiva? Quanto custa?

Agora imagine que eu fazia todas as peças sozinha. Mudar uma estampa significaria perder tempo indo até a loja de tecidos só para pesquisar se há o padrão solicitado pelo cliente para só então dar a ele o preço – e ele poderia muito bem mudar de ideia e acabar não comprando. Fazer o mesmo modelo para criança significaria fazer uma modelagem nova, uma peça-piloto nova, prova e só então ter no tamanho desejado. Colocar um bolso novo alteraria meu modelo de produção, interferindo na produtividade de todas as outras peças. Fazer um vestido de noiva exigiria que eu visitasse a pessoa ou que ela viesse a meu encontro, tirasse medidas e fizesse uma peça completamente fora do meu modelo de negócios. Teria que fazer pesquisas para encontrar rendas, cetim de qualidade e mostrar estas opções para a cliente. Ufa! Deu pra entender o que cada uma destas sugestões (e outras semelhantes) acarretam para quem faz produtos artesanalmente?

mesa2

Pesquisar, fazer uma modelagem nova, alterar meu modelo de produção ou modelo de negócios custaria duas coisas muito preciosas: tempo e dinheiro.

Dizer “não” me tornava inflexível, insensível e até mesmo irracional aos olhos dos outros, já que a cliente estava ali, batendo à porta, disposta a pagar por um produto diferenciado. E como é difícil dar um “não” para uma cliente querida!

Agora vamos falar do lado positivo das mudanças. De tanto me pedirem bolso na saia, acabei percebendo que este era um diferencial que minhas peças poderiam ter. No mundo moderno de hoje, todo mundo anda pelo menos com um celular na mão e a praticidade do bolso faria com que minhas clientes ficassem mais satisfeitas com as peças e eu pudesse até cobrar um pouco a mais por isso. Legal, né? Neste caso, as sugestões das clientes viraram inovação para meu negócio criativo, valorização dos meus produtos e retorno positivo para todos.

Produtos sob encomenda
No meu caso, como os pedidos de alterações sutis (modificações no comprimento, inserção de bolso, etc) eram comuns, adicionei a taxa de R$15. Esta taxa estava em todas as descrições de produtos e na minha Política de Loja.

Produtos personalizados
Para produtos únicos, exclusivos (uma saia com modelagem diferente, uma peça nova), o preço era sob consulta. Assim eu poderia conversar bastante com minhas clientes, entender exatamente suas expectativas e estudar suas referências. Só depois fazia um orçamento. O prazo de entrega também era sob consulta, pois como era um produto 100% novo, não tinha jeito de determinar de antemão um período de produção. Mesmo assim, no meu caso, pegar este tipo de pedido não era vantagem, já que tinha todos os processos organizados para fazer peças determinadas.

Para mim, a melhor solução foi deixar bem claro para meus clientes que há uma diferença de preço e trabalho para cada tipo de pedido. É claro que nem todo mundo entendia, mas ao conversar com meu travesseiro à noite (risos), tinha a paz de saber que fui clara, peguei somente pedidos que conseguia entregar e não deixei nem a mim nem às minhas clientes na mão.

gato056

Algumas dicas para pegar pedidos diferentes com tranquilidade:

    1. Se está começando seu negócio criativo, não há motivo para se preocupar com isso agora. Espere os pedidos chegarem e veja como é a alteração da sua rotina nestes casos

 

    1. Agilize o atendimento para produtos sob encomenda: crie um álbum exclusivo para estes produtos e monte um mostruário com as variações de tecidos, acabamentos, cores, entre outros.

 

    1. Ao receber fotos de referências de produtos personalizados, tome cuidado para não infringir leis de direitos autorais. Copiar é feio e não faz bem para seu negócio criativo

 

    1. Dizer “não” para um pedido de produto personalizado ou sob encomenda é normal, mas converse com seu cliente sempre de maneira muito cordial. Se não puder atender àquela necessidade, sempre agradeça o interesse e mostre que ele pode comprar outros produtos

 

    1. Ao fazer um produto sob encomenda, tire todas as dúvidas! Cores, texturas, aviamentos, tecidos, materiais, acabamentos, referências… Toda informação dada por seu cliente é útil. Antes de começar a produzir, escreva uma mensagem com a descrição do pedido e peça confirmação do cliente. Assim você evita reclamações futuras e tem a certeza de estar fazendo a peça que ele solicitou.

 

  1. Tem um post muito bacana da Consultoria Fato! sobre as diferenças entre produtos sob encomenda e pronta entrega, vale a visita!

Personalizar ou fazer produtos sob encomenda é muito gostoso, tira a gente da rotina e faz com que exercitemos nossa criatividade. Tenho certeza de que estas questões já passaram pela cabeça de muitas de vocês. Compartilhem suas histórias e dicas nos comentários!

(Imagens do post: Ateliê Santa Bárbara)

bool(false)
Professora de costura e fã dos artesãos que fazem parte desta comunidade incrível de criativos. Compartilha o amor por costurices em seu blog, A Costureirinha. Não resiste a um ronrom e é viciada em aviamentos e tecidos coloridos.

Veja mais posts deste autor.

25 comentários

  1. Rebeca Albuquerque

    Passo por esses problemas sempre, e como moro no interior de Pernambuco, muitas vezes as clientes não entendem o fato de não termos acesso a materiais, tecidos e aviamentos diferenciados, esses dias tive uma cliente decepcionada com um trabalho que fiz pra ela e foi muito ruim pra mim. Hj lendo esse post aprendi um monte de coisas. Obrigada!

    • Elisa Dantas

      Que bom, Rebeca! O ideal é ser claro com seu cliente e também ter claro para si os seus limites e potenciais. No meu caso, passei a recusar pedidos de vestidos de noiva e sempre indico duas lojas de confiança. Depois elas me agradecem pela indicação e todas saem felizes! ;) Sucesso com seu negócio criativo!

  2. Às vezes realizar uma personalização conforme a solicitação do cliente e sua necessidade poderá nos retornar numa excelente avaliação, o que por consequência pode trazer ao artesão, novas vendas e fidelidade dos clientes. Excelente o artigo escrito, abraço.

  3. Adorei o post. Estou nessa fase de voltar ao foco as minhas estratégias comerciais. Antes, com poucas encomendas eu conseguia fazer tudo… agora, tenho provocado alguns nós na produção por conta de fazer tudo. Estou delimitando meus caminhos. :)

  4. Recebo muitos pedidos de produtos personalizados. Como trabalho basicamente por encomenda, estou sempre aberta a novos temas e produtos e procuro avaliar a possibilidade de fazer ou não. Gosto de novos desafios e criar um produto novo é sempre estimulante, além de aumentar o portfólio de produtos a oferecer.

  5. olá, Elisa!!!!
    No caso descrito acima, com certeza, é a melhor solução! Mas, comigo, já aconteceu, alterações ou até mesmo novo produto que depois coloquei a venda em minha loja e foi SUCESSO!!! Mas há casos e casos. Tbm tive momentos e produtos que não achei viável, e não fiz. E tive toda a delicadeza de dizer ao cliente. Gostei muito do seu texto!

    • Elisa Dantas

      Sim, Luciana! O que quis mostrar no texto é que há casos e casos. Todos os dias vemos artesãs fazendo malabarismo para fazer tudo ao mesmo tempo, sem foco e sem planejamento. Vale ver o que funciona para você, testar e depois de descobrir, seguir o melhor caminho. Sucesso para você!

  6. Muito bom o post, acho que estou no caminho certo , creio que cerca de 95% dos pedidos são personalizados,ou exclusivos, adoroooo quando as clientes me pedem uma estampa ou bordado que ainda não fiz! Sempre abre um leque de possibilidades para novos clientes!
    Parabéns, e obrigada por compartilhar suas experiências!!

    Beijos

    Amanda Campos

    Atelier Mima Mimos

  7. Adorei o post, principalmente a dica nº 3, recebo muitos pedidos de orçamento e o cliente envia foto de trabalho feito por outro artesão, sempre recuso e explico que não reproduzo trabalho de outro profissional, acho desonesto o artesão que aceita um pedido deste!

  8. Adorei este post pois ja passei por situações parecidas e as vezes a gente precisa ter um jogo de cintura para agradar. .Recentemente uma cliente solicitou uma quantidade significativa de casinhas e pediu que todas fossem diferentes umas das outras. Nessa hora percebi que tinha que mudar minhas postagens e definir o numero de modelos. Mas, para nao desagradar a cliente eu fiz 18 casinhas diferentes. Obrigada pela ajuda que voces teem nos proporcionado, leio todas e procuro seguir as sugestes e orientações. Tenho maior prazer em participar do grupo Elo7.
    Heloisa Mimos da Helo

  9. Desde que montamos nossa loja no ELO7 fazemos as personalizações e as peças sob encomenda exatamente como foi falado aqui. Funciona!

  10. Muito bom esse post! Comecei minha loja recentemente, e como ainda não tenho muitas encomendas, às vezes fico tentada a fazer as vontades dos clientes. Mas sei que se desviar meu foco, não vou fazer nada direito. Tento atender da melhor forma possível, e faço tudo que está dentro das minhas possibilidades mas, de vez em quando, é preciso dizer uns nãos… Obrigada por compartilhar as experiências, me ajuda muito!

    Hariadne – Hari Artes

  11. Eu trabalhava com encomendas mas não gostava de produzir a peça “criada” pelo cliente. Gosto é de produzir as minhas criações e da liberdade que elas me proporcionam, sem compromissos com prazos de produção, por exemplo. Então decidi trabalhar com meus produtos a pronta entrega, criados livremente.por mim e tem dado muito certo. Ainda tenho algumas peças sob encomenda na loja, mas todas já tem suas especificações das modificações que são possíveis, dessa forma mantenho minha liberdade criativa e agrado aos clientes. Me encontrei trabalhando desta maneira e tem dado muito certo. Gostei muito do post. Parabéns!

    • Isso aí, Priscila! A gente tem que tentar encontrar a melhor forma de trabalhar e ser feliz. Afinal, é disso que se trata o artesanato!

    • Penso como você Priscila e me sinto da mesma forma, gosto de estar sempre criando novas peças sem me sentir presa com liberdade e criatividade, bjks

  12. Que ótimas dicas! Estou começando agora e já cadastrei um produto que é “personalizado”. Na descrição já aviso que é um projeto, que tem tempo para ser pensado e discutido, e depois terá um tempo para confecção e entrega. Assim, também consigo direcionar para um mesmo link essas alterações que alguns clientes pedem ;)

    O teu texto foi mais uma estampa de destaque neste grande bordado que é o caminho profissional do artesanato :)

    Abraço!

    Renata Ilha

  13. Olá, Elisa! Muito bom o post, sempre leio todos, rsrrsrs. Eu comecei com produtos pronta – entrega, mas fiquei quase um ano sem nenhuma venda e depois que comecei a trabalhar com produtos personalizados, minhas vendas expandiram muito. Agora trabalho com os prazos para dar conta e como não gosto de fazer sempre só uma coisa, meu leque é um pouco variado de produtos. Alguns produtos foram sugestões de fotos de revistas enviadas por uma cliente (como o vestido porta – fraldas) ou de perguntas se fazia ou não determinada coisa. Sempre tenho alguns itens pronta – entrega, mas minhas vendas se concentraram basicamente nos pedidos personalizados. Bom findi! Abraços

    • Legal, Teresa! Como eu disse, é nos produtos personalizados que a gente consegue ter mais liberdade para criar e fazer coisas novas. Sucesso para você!

  14. Sou uma eloseter e tenho uma dúvida, faço bonequinhos Minecraft, eles são personalizados. Para isto, meus clientes precisam me enviar a imagem para que eu possa confeccionar. Como seria possível o envio deste anexo?

    • Oi Elisabete!

      Na página do produto ou loja, existe um botão “contatar vendedor”, que ao ser clicado, abre um formulário de contato. Você deve instruir o comprador a utilizar essa ferramenta. Você receberá e responderá as mensagens normalmente em seu e-mail, podendo inclusive anexar arquivos. Clique em “responder” na mensagem de email recebida e criaremos um código no campo “para” para enviar seu email ao cliente. As mensagens não ficam gravadas em sua loja, mas é possível enviar e receber anexos normalmente.

  15. Eu diria que quase 70% das minhas vendas no Elo e fora dele são encomendas. Onde moro já me conhecem pela criatividade e diversidade de técnicas. É meu diferencial fazer exclusividade. Mas na loja virtual, quando o pedido é de algo inovador, sempre faço um esboço, um desenho de como entendi a peça pedida, para que não haja dúvidas entre o que o cliente quer, o que entendi que ele quer e o que é possível, Junto envio fotos das amostras dos tecidos para que ele escolha o que tenho disponível. Tomei esta atitude depois de fazer um piloto para uma cliente e de trocar dezenas de e-mails e ela acabou dando uma desculpa de que estaria mudando de emprego. Ok. Poderia ser verdade, mas foi difícil, pois gastei meu tempo que para quem trabalha sozinha sabe bem o que significa. Então esta nova forma tem dado certo. Fica a dica!

  16. Thaty Monfredini

    Oi.. eu to começando a trabalhar com artesanato agora e estou pensando em montar uma loja aqui no elo7 mas gostaria de algumas dicas, de ajuda para conseguir clientes e encomendas… vejo pelo facebook as pessoas comentando que estão cheias de encomendas e eu me sinto parada! Obrigada desde ja!