Home | Negócio Criativo | Histórias de Sucesso | Da tecelagem às joias artesanais

Da tecelagem às joias artesanais

joaiasartesanais1

Está no ar mais uma história de sucesso! Quem abre os bastidores de sua marca e trajetória hoje é a Tereza Pavarini, designer, joalheira e ourives, que comanda as criações de sua loja de joias artesanais.

Outras técnicas

A artesã nos conta que sua vida sempre esteve repleta de trabalhos manuais. Por muitos anos, a designer esteve envolvida com tecidos para lojistas, confeccionando bolsas, roupas, almofadas, tapetes e dando muitas aulas. Sua arte estava totalmente mergulhada em fios. Mas como ela mesma descreve com uma ótima analogia:

“O nó que havia era o gargalo da venda. Puxa, nessa época não existia o Elo7. Apesar de ter um site desde 1997, era muito difícil vender através dele e sobretudo divulgá-lo.”

joaiasartesanais

Mergulho na joalheria

Foi em 2005 que Tereza teve vontade e curiosidade de migrar para a joalheria. “Queria ver como o metal se transforma numa peça. Aos poucos a joalheria foi tomando mais força e a vontade de aperfeiçoar crescendo.” Tempos depois, com mudança de cidade, a lojista decidiu fechar o ateliê de tecelagem e migrou para as joias artesanais.

joaiasartesanais3

Venda online

Para ela, o encontro com o Elo7 significou novas portas e horizontes para seu trabalho. “Conheci o Elo7 em 2011. Fui apresentada através de uma amiga, também joalheira, que já tinha loja aqui. E que foi importantíssimo, pois foi a minha janela para o mundo! Diferentemente da época da tecelagem, agora eu tinha uma parceria, alguém me ajudando a divulgar e a vender. Nem acreditava muito na venda, pois pensava em como comprar um anel sem experimentar? Qual não foi minha surpresa. É a peça que mais vendo!”

joaiasartesanais2

Criação autoral

Para a execução de uma nova joia, a artesã conta que segue caminhos instintivos, sem um plano ou projeto.

“Muitas vezes começo riscando num papel uma ideia, elaboro um plano para a fabricação e executo o projeto. Outras vezes olho para uma pedra, um recorte da prata, um pedaço de madeira, uma brincadeira com o arame e essa é a inspiração.”

Sobre a venda olho no olho

Para Tereza, os bazares e vendas diretas também são fundamentais. “É muito importante mostrar a cara, conhecer seu público, observar quais peças agradam ou quais não tiveram interesse. Conversar, trocar, conhecer e claro, vender!” A artesã participou da edição carioca do Bazar Fora de Série e também em SP e se diz ansiosa para próximas oportunidades.

Vamos fazer uma visita à loja Tereza Pavarini e conhecer mais criações?

bool(false)
Com antena ligada para novidades e tendências 7 dias por semana, paulistana vivendo em Ilhabela, é produtora de conteúdo criativo freelancer há seis anos, formada em Publicidade e Propaganda na ECA-USP, com especialidade em mídias digitais pela FGV. Autora do blog Colacorelinha , redatora do Blog do Elo7, gerenciadora de marcas na web e fã convicta de suculentas e sua força.

Veja mais posts deste autor.

3 comentários

  1. Tereza Pavarini

    Oi Marcela,
    Muito obrigada pela matéria, adorei!! Só tenho uma observação a fazer, na verdade, iniciei meu trabalho como joalheira em 2005.
    Grande abraço!!
    Tereza

    • Marcela Stump

      Oi, Tereza! Que bom ter você aqui e saber que gostou da matéria! Agradecemos a participação! Quanto ao ano, ops! – Erro de digitação. Editado! :)

  2. Juliana Seixas

    teste