Home | Negócio Criativo | Desenvolva seu Negócio | Peter Paiva: A valorização é a solução

Peter Paiva: A valorização é a solução

peterpaiva-post

Hoje temos um post muito especial, que marca o retorno do Peter Paiva como colunista do Blog do elo7, que honra! Seja bem-vindo novamente, Peter <3

Você consegue pagar as suas contas? Você se sente recompensada pelo seu trabalho no fim do mês? Como está o seu valor? Ficou pensativa com as perguntas? Então vamos conversar.

Há tempos queria escrever sobre esse assunto para tocar diretamente aquelas pessoas que vendem o seu suado trabalho a preço de banana. Quando me deparo com lembrancinhas com valores baixíssimos aqui no Elo7, eu me pergunto: “esse artesão sabe fazer conta? Será que ele acha que com uma margem baixa como essa, ou às vezes, sem margem de lucro nenhuma, vai crescer algum dia nesta profissão?”

Para provar que os preços são absurdamente baixos e fora da realidade de uma venda, eu rodei a Rua 25 de março, uma das ruas mais conhecidas de São Paulo, onde o comércio varejista é imenso e encontramos por lá o que tem de mais barato no Brasil. Pois bem, achei produtos bem mais caros e sem qualidade alguma.

Conversando com pessoas que realmente estão crescendo na área do “faça você mesmo”, eu decidi provar para estas pessoas que o crescimento se dá pelo valor que temos e embutimos no nosso trabalho. A realidade é que quem se valoriza é valorizado e quando falamos de lembrancinhas, não podemos achar que o que fazemos com tanto amor deve se comparar ou até mesmo se desvalorizar com relação aos produtos made in China! Outra informação importantíssima, os que vivem – e não apenas sobrevivem – deste mercado focaram na qualidade de seus produtos e em profissionalização.

Seriamente eu te pergunto: quanto tempo mais você vai esperar para ter realmente lucro com o seu trabalho manual? É preciso entender que, antes de vender algo a um preço irrisório, é necessário embutir os custos, a exemplo do transporte ao local de compra, a mão-de-obra (e muitas vezes contamos com a ajuda do marido, filhos, mãe, que dedicam seu tempo em ajudar sem cobrar nada em troca), o tempo de sua produção etc.

Então, acorde e valorize-se! Vista uma roupa bonita, arrume-se, endireite a postura e sonhe mais alto! Compreenda que apesar de trabalhar em casa, você deve se valorizar e consequentemente, valorizar seu trabalho.

Close-up of hands knitting

Aproveito para convidá-la a buscar conteúdo feito por gente inspiradora, seja em blogs, redes sociais, ou em sites. Atente-se à organização e profissionalismo dessas fontes de inspiração. Tenha o olhar crítico e veja também exemplos ruins, que não acrescentam nada em sua vida. Tome para si e use como referência para não errar também. Tenha sempre em mente os exemplos positivos e não se permita estacionar ou regredir.

Dei-me essa missão de vida: mostrar para o mundo o trabalho maravilhoso que nós brasileiros fazemos. Claro que para isso, levei alguns puxões de orelha, mas não ligo! Para mim, o importante é cumprir minha missão. Há 15 anos olhei para um sabonete aparentemente sem valor e enxerguei nele muitas possibilidades. Desde então, a cada dia que passa, corro atrás de novidades e procuro me manter sempre atualizado. Ainda assim, acredito que tenho um mundo de possibilidades para conhecer e aprender.

E o seu trabalho como anda? Quantos outros exemplos você já viu como o meu? Que tal fazer o mesmo e enxergar em seu trabalho o devido valor, além de sempre se atualizar e estudar? Permita-se evoluir! Mas, por favor, se você não vendeu um produto hoje, não significa que é preciso baixar o preço e banalizar o nosso trabalho artesanal! Veja onde você pode melhorar, como valorizar ainda mais seu trabalho… Desta forma pode até ser que o valor de seus produtos suba, além disso, outras portas podem se abrir.

Hoje, depois de mais de 20 mil alunas em sala de aula eu digo: A valorização é a solução!

Boa sorte e um grande abraço!

Peter Paiva, vivendo em um mundo onde sonhar é Real.

bool(false)
Um leonino singular, um designer de sonhos. Artesão por vocação, artista por paixão, professor e apresentador de TV, tem um programa exclusivo na Rede Aparecida "Tudo Artesanal" e está diariamente no "Tudo Simples", do canal Bem Simples. Adora repassar o conhecimento que adquiriu em suas experiências internacionais e mostrar sua visão positiva e engajada sobre o artesanato. Acesse.

Veja mais posts deste autor.

24 comentários

  1. Bom dia! Amooo de paixão o Peter. Sou aluna e fã dele. Acho-o uma pessoa iluminada, que dá ótimas dicas para nós, artesãos. Quanto ao fato da valorização, também fico chocada ao ver como tem colegas que não se prestigiam… preços irrisórios, onde mal consegue cobrir seus custos. E isso acaba refletindo nos outros artesãos da mesma área, pois o cliente acaba comparando os preços e acha que aquele que tem um preço proporcional, tá se achando… cobra caro demais por uma “lembrancinha”… na grande maioria das vezes não percebe o diferencil, que está na qualidade, no atendimento, no cumprimento correto dos prazos, enfim…
    Acho que é extremamente necessário que antes de colocarmos nossos produtos numa vitrine (seja por site, blog, loja virtual ou física), nós, artesãos, devemos ter certeza de que nosso trabalho está sendo valorizado, tanto no lado financeiro quanto no pessoal, pois desta forma estaremos unindo forças em prol de toda nossa comunidade artística.
    Um grande beijo ao meu mestre Peter e a vocês do blog, sempre com ótimos temas e dicas.

  2. EXCELENTE PETER !!!!! LEVA TEMPO E PACIÊNCIA, MAIS PERSISTIR É O SEGREDO, NÃO BAIXAR OS BRAÇOS E VALORIZAR A NOSSA PROFISSÃO. JÁ DESDE O MOVIMENTO ARTS & CRAFTS, COM WILLIAM MORRIS , A VALORIZAÇÃO DOS ARTESÃOS COMO CRIADORES DE PRODUTOS DE QUALIDADE, ÚNICOS, VINHA SENDO UMA QUESTÃO SUPER IMPORTANTE. HONRAR COM ORGULHO A NOSSA QUALIDADE . SER ARTESÃO NÃO É FAZER BICO, É PROFISSÃO MESMO. OBRIGADA !!!!

  3. Caro Peter, como vai tudo bem? Realmente nós artesãos não valorizamos nosso trabalho sequer sabemos fazer preço de venda dos nossos produtos. Descobri que essa falta de estima, isso mesmo, chamo de falta de estima, vem dos nossos antepassados, pois fomos colonizados dessa forma, na base da troca, o que vale mais é o que vem de fora, o nosso não tem valor, a falta de valorização vem a partir dai. Também participo de grupos no face, onde os empreendedores(empresários) não sabem nem calcular custos, imagino como podem gerir uma empresa, acredito nesse caso a falta de interesse, não se especializar, não se profissionalizar, não buscar novos meios de qualificação, hoje temos a internet que é uma excelente ferramenta de conhecimentos, mas as pessoas não querem perder tempo. Você conhece a frase, plantar para colher infelizmente ainda temos a mania de querer colher antes, abraços.

  4. Adorei o Post. O Peter é uma fonte de inspiração. Vamos nos valorizar e mostrar que quem compra produtos artesanais não compra somente o produto, ele adquire o nosso carinho, cuidado e amor no que produzimos.

  5. Bom dia!Que coisas boas de se ouvir. Este menino é um fofo… Beijos Cris

  6. Tenho aprendido muito com o Peter, faço sabonete e ele é minha inspiração para crescer.
    Sempre vejo matérias dele, e claro aprendendo com as dicas dele, ainda estou no começo, mas assim como ele sonho em chegar lá, e com certeza sei que estou no caminho certo. Obrigada Peter, por me fazer acreditar que eu posso chegar aonde eu quero
    Sabrina – http://www.elo7.com.br/tendenciaaromatica

  7. Adorei seu texto! Perfeito! Aconteceu comigo algo bem curioso… No começo que abri a loja no Elo7 meus preços eram mais baixos (mas não banalizados!) pois eu estava iniciando. Com pouco tempo de loja, resolvi fazer melhor as contas e aumentei meus preços. Sabe o que aconteceu? Minhas vendas aumentaram!!! Sim, às vezes o produto barato parece não ser tão bem aceito… tudo depende do público pra quem você vende!

  8. Concordo plenamente, as vezes não consigo imaginar como as pessoas conseguem vender tão barato… Eu pelo menos ainda não ganho o que gostaria devido a concorrência mas vou batalhar sempre para ir tendo algum diferencial para que isso mude.

  9. Você tem toda razão Peter, ao fazer este alerta! O trabalho artesanal, apesar de toda técnica aprimorada, requer muita imaginação, dedicação e tempo para realizá-lo, além de organização, foco, deslocamentos e muito investimento, porque você precisa sempre oferecer opções ao seu cliente. E o que resulta é um produto único, na medida certa para quem o encontra e compra.
    Por tudo isto, não pode ser banalizado, e cada um é que sabe o que lhe custa produzir sua arte. Sou nova no mercado, mas estou sempre refletindo sobre o quanto vale a pena fazer o que faço!

  10. Concordo! Também fico chocada com os preços baixíssimos! Temos que nos valorizar! Parabéns pelo ‘post’!

  11. Exemplo e inspiração, sempre… Obrigada @Peter pela luz para nós… :)

  12. Ouço muito isso que ; Que ninguém dá valor ao artesanato. não aceito.

    Assunto bem importante, sempre aproveitei toda as as oportunidades fazendo cursos me especializando. Vivo do artesanato,sempre que precisei ganhar eu consigo.

  13. Sou aluna e fã do Peter, ele é uma grande inspiração. E a valorização começa em nós artesãos, vamos valorizar o nosso trabalho que os frutos a serem colhidos aparecerão, claro que com muito trabalho e sempre buscando um diferencial. Ótima matéria.

  14. Oi Peter, sou seu grande fã e admirador. O trabalho artesanal nada mais é do que doar amor, tempo, carinho e atenção. a valorização depende do artesão. As pessoas buscam no mercado bons produtos, mas tem que estar dispostos a pagar por eles. Infelizmente o artesão ainda é muito carente de suporte, pois muitos não conseguem controlar o próprio dinheiro. Não tem noção de custo, gastos, planejamento, criação, vendas dentre outros controles importantes para seu crescimento. O Sebrae ajuda muito, mas o artesão também tem que ter vontade de ir atrás e sair da zona de conforto. Aprendi o artesanato com o Peter, vivo dele hoje, e amo fazer e dividir.

  15. Hélia paula

    Parabéns por mais uma jornada adquirida !!! Sou sua fã !!!

  16. Elisa Maria Atelier

    Obrigada Peter. É o que eu sempre digo para minhas alunas. Corretissimooooo, excelente. É bem isso mesmo. É mto bom contar com mais alguem (e compartilhar) que entende a mesma coisa. Grande abraço.

  17. Peter graças as suas maravilhas cheirosas, estou muito feliz , minha inspiração é você.Você é um ser de muita luz,,te adoro,beijo grande no coração.Só oque me falta é estar fazendo um curso contigo pessoalmente.

  18. Acho que todos os artesãos deveriam ler este post, aprenderem a cobrar valores justos e passarem a competir em outros aspectos como qualidade ou prazo, por exemplo. O valor do produto não está apenas no material utilizado…
    Como disse o querido Peter Paiva “A valorização é a solução.”

  19. Concordo com tudo! Fico chocada com alguns preços praticados no elo7 por alguns artesãos! Faço e refaço minhas contas e fico pasma ao concluir que a pessoa ganha uma miséria em cima de cada peça! E às vezes em produtos que não costuma ser comprados em quantidades elevadas, para justificar a estratégia!

  20. Adorei o que o Peter escreveu…. Ele é sensacional no que faz além de muito profissional, sério e ético.
    Trabalho com bolos e doces personalizados e nessa área esse é o maior problema que encontro: a falta de qualidade aliada a preços ridículos que promovem uma concorrência predatória.
    Às vezes é desestimulante vermos tantas pessoas desprovidas de qualquer conhecimento técnico ou prático mesmo anunciando produtos baseados em fotos alheias do tipo “faço igual” com preços inviáveis. Pior é que tem cliente que busca essencialmente preço e aí tudo acontece.
    Enfim, acredito na profissionalização e, para isso, acho que o Elo-7 ajuda muito… Estou sempre por aki…

  21. Olá Peter, sempre acompanho as suas apresentações na tv, sou sua fã e de seu trabalho.
    Infelizmente existem muitos artesãos que não se valorizam e além de não se valorizar nos prejudicam como um todo, pois muita gente acha que artesanato tem que ser tão barato quanto a China ou quanto aquele que não se valoriza.
    Trabalho com arranjos para noivas, uma vez uma cliente me pediu para fazer mini casquetes, com voilette e ainda me passou o preço de R$2,50 … chega a doer quando recebemos mensagens assim. Não só pelo trabalho mas como nesse exemplo que eu dei R$2,50 não pagaria nada de nada do que eu gastaria para fazer … mesmo ela querendo em quantidade. Infelimente acham que somos a China brasileira.

  22. Essa matéria não poderia ter chegado em melhor hora, Peter! É a resposta que precisava, de forma impressa e no local onde precisava ver… Valorização do nosso trabalho é a chave para o sucesso, bem como foco em qualidade e diversificação. Obrigada por confirmar aquilo em que sempre acreditei

  23. Ele só é o que é hoje, porque ele não tem medo de compartilhar o que aprendeu e o que sabe…isso sim que é um profissional, e uma pessoa de bom coração….