Home | Negócio Criativo | Desenvolva seu Negócio | O que é o MEI? Tire todas as suas dúvidas

O que é o MEI? Tire todas as suas dúvidas

Você é empreendedor? Sabe o que é o MEI?

O post da Rede Colaborativa do Blog é do John Balthazar, também conhecido como Johnny. O artesão é formado na área de eletrônica, mas trabalha com produtos feitos à mão há 18 anos.

Após formalizar seu atelier no MEI, fez vários cursos e pesquisas junto ao SEBRAE e hoje é consultor e orientador sobre assuntos do MEI, inclusive, Johnny mantém um grupo no Facebook voltado ao assunto.

Vamos conhecer mais sobre esse assunto que ainda desperta muitas dúvidas nos artesãos?

o que é o mei
Formalize seu negócio artesanal!

+ Escreva também para nossa Rede Colaborativa!

+ Veja outros conteúdos para empreendedores

O que é o MEI?

O MEI ou Microempreendedor Individual é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

Para ser um microempreendedor individual, é necessário faturar no máximo R$5.000,00 por mês, ou até R$ 60.000,00 por ano e não ter participação em outra empresa como sócio ou titular.

Post atualizado em 19/01/18: 

O limite de faturamento para que uma empresa consiga se enquadrar na categoria de Microempreendedor Individual (MEI), é de R$ 81.000 por ano em 2018. O Microempreendedor Individual que se formalizar durante o ano em curso, tem seu limite de faturamento proporcional a R$ 6.750, por mês, até 31 de dezembro do mesmo ano.

Exemplo: O MEI que se formalizar em junho, terá o limite de faturamento de R$ 47.250 (7 meses x R$ 6.750), neste ano.

Ao estourar o limite de R$ 81.000, o MEI passará à condição de MICROEMPRESA (ME) e deverá solicitar obrigatoriamente o desenquadramento no Portal do Simples Nacional.

A receita bruta de uma ME pode ser de até R$900.000 a partir de 2018. A apuração dos valores do faturamento como ME é uma tarefa complicada que exige conhecimento. Por essa razão, é importante contar com os serviços de um escritório de contabilidade para evitar erros e problemas. 

Obs: A apuração dos valores do faturamento como ME é uma tarefa complicada que exige conhecimento. Por essa razão, é importante contar com os serviços de um escritório de contabilidade para evitar erros e problemas.

O MEI também pode ter até um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria.

A Lei Complementar nº 128, de 19/12/2008, criou condições especiais para que o trabalhador conhecido como informal possa se tornar um MEI legalizado.

O MEI é ideal para artesãos, vendedores ambulantes, consultoras de beleza e outros profissionais que trabalhem por conta própria e que tenham uma renda bruta de até R$5.000,00 por mês (o MEI até poderá em um mês ou outro ultrapassar dos R$5.000,00, mas não poderá ultrapassar os R$60.000,00 anuais).

Entre as vantagens oferecidas por essa lei está o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos, a emissão de notas fiscais e a compra de matérias-primas e mercadorias direto do fabricante.

Além disso, o MEI será enquadrado no Simples Nacional e ficará isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). Assim, pagará apenas o valor fixo mensal de R$ 45,00 (comércio ou indústria), R$ 49,00 (prestação de serviços) ou R$ 50,00 (comércio e serviços), que será destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS. Essas quantias serão atualizadas anualmente, de acordo com o salário mínimo.

Com essas contribuições, o Microempreendedor Individual tem acesso a benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria por idade, entre outros.

Situações que NÃO permitem a formalização como MEI:

1 – Pensionista e servidor público federal em atividade. Servidores públicos estaduais e municipais devem observar os critérios da respectiva legislação, que podem variar conforme o estado ou município.

– Estrangeiro com visto provisório (formalizar apenas mediante apresentação do RNE – Registro Nacional de Estrangeiros, pois este é o “visto permanente”).

– Pessoa que seja titular, sócio ou administrador de outra empresa.

Pontos de atenção antes da formalização:

1 – Verificar se você recebe algum benefício previdenciário (como por exemplo: aposentadoria por invalidez, auxílio doença, seguro-desemprego etc). Caso esteja recebendo alguns dos benefícios acima, estes poderão ser suspensos. Da mesma forma o MEI que mantém em paralelo um trabalho formal com registro em carteira, e caso seja demitido, não terá direito ao seguro-desemprego, pois o MEI é um empresário e aos olhos do governo um empresário não é considerado um desempregado.

2 –Procurar a prefeitura para verificar se a atividade pode ser exercida no local desejado.

3 – Verificar se as atividades escolhidas podem ser registradas como MEI.

+ Conheça o Johnny Home Atelier

+ Materiais para sua arte

E agora que você já sabe o que é o mei, no próximo post Johnny listará as atividades permitidas ao MEI e falará também sobre a consulta prévia, o que é e para que serve.

Fique de olho!

Sobre Elo7

Somos um time que é apaixonado por tudo que é criativo e feito à mão. Aqui no blog, trazemos dicas diárias para inspirar e ajudar no seu negócio criativo! Também organizamos oficinas e encontros em todo o Brasil. Conheça o Elo7!

Veja mais posts deste autor.

Veja Também

Como ter produtividade em trabalhos sem rotina

Como ter produtividade em trabalhos sem rotina

Acredito que uma das maiores dificuldades de ser “eupreendedor”, ou seja, para quem empreende sozinho, ...

5 comentários

  1. Aqui em Belém até desisti, pois fui a prefeitura e não era lá. Ou seja fica num empurra, e então a funcionária disse vá ao SEBRAE. Conversando com uma conhecida artesã, ela começou a pagar o INSS, pois informada que com o valor do MEI a aposentadoria no futuro seria baixa. E aí como faz?

  2. John Julius Balthazar

    Olá Sheila! Infelizmente muitos estados e cidades do Brasil ainda não falam a mesma língua quando o assunto é o MEI. Mas isso depende mais de nós cidadãos do que da parte governamental. Pra isso mudar o primeiro passo é pegar no pé dos vereadores de sua cidade e faze-los votar, aprovar, e fazer o prefeito sancionar a Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, isso feito o MEI passará a ser respeitado e tratado como empresário. Aqui em Bertioga também era assim, mas depois que pressionamos e conseguimos fazer com que a Lei fosse aprovada na Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito muita coisa ja mudou…

  3. John Julius Balthazar

    Quando a sua formalização; a primeira coisa que você tem que fazer, é ir até a prefeitura fazer a consulta previa, essa consulta é obrigatória e gratuita e serve para verificar se sua empresa pode funcionar ou se a sua atividade pode ser exercida no endereço escolhido. Se tudo estiver OK na consulta previa, você deve entrar no Portal do Empreendedor e iniciar o processo de abertura de sua MEI. Lembrando que somente pode se formalizar como MEI se a sua atividade estiver claramente na lista das atividades permitidas ao MEI, caso contrário a formalização como MEI será inviável. Mas cuidado ao entrar no Portal do Empreendedor, pois tem um site de uma empresa que usa o mesmo nome “Portal do Empreendedor” eles apenas mudam o final do domínio que é .ADM.BR, e o verdadeiro é .GOV.BR, sendo que esse outro portal cobra pra fazer a abertura e no portal verdadeiro é gratuito. O link do Verdadeiro está logo abaixo…

    http://www.portaldoempreendedor.gov.br/mei-microempreendedor-individual/formalize-se

  4. John Julius Balthazar

    Caso você tenha dificuldade pra preencher o formulário no Portal do Empreendedor, você pode solicitar ajuda de um contador que seja optante do Simples Nacional, ele fará a abertura da sua MEI gratuitamente. Para saber quais são os escritórios credenciados de sua cidade entre no link abaixo, digite o seu estado, sua cidade e bairro e veja quais os escritórios mais perto de você.

    http://fenacon.org.br/escritorios/

  5. John Julius Balthazar

    Sheila!

    Você também poderá buscar ajuda no SEBRAE-PA, nos postos do SEBRAE em todo o Brasil tem pessoas que podem te ajudar no processo de formalização…

    Depois que você estiver com a sua MEI aberta, e com seus documentos impressos, pegue o seu CCMEI e o seu CNPJ, e volte na prefeitura pra solicitar o seu alvará de funcionamento, pra isso dirija-se ao setor de finanças, ISS, e etc, cada cidade tem um nome diferente, mas é no setor onde se trata da abertura de empresas. Faça isso de preferencia no dia seguinte da abertura da MEI, pois o seu alvará provisório tem seis meses de validade, mas é bom providenciar o definitivo logo após a abertura.

    MEI aberta, alvará na mão, é só pagar o DAS pontualmente e fazer os relatórios mensal todos os meses, e a Declaração anual do MEI todo inicio de ano.

    Boa sorte! Mais dúvidas estou a disposição…