Home | Negócio Criativo | Desenvolva seu Negócio | Como se cadastrar para receber o Auxílio Emergencial do Governo Federal pela Caixa

Como se cadastrar para receber o Auxílio Emergencial do Governo Federal pela Caixa

O Governo Federal lançou diversas medidas econômicas para auxiliar os brasileiros durante a crise causada por conta do Coronavírus para distribuir renda emergencial e auxiliar os cidadãos brasileiros a enfrentar os impactos provocados pelo isolamento social. Ele garante uma cobertura financeira de emergência de  de R$ 600 a R$ 1.200 para trabalhadores informais, autônomos e pequenos empreendedores que terão a renda comprometida durante as normas de isolamento para evitar a propagação do coronavírus.

Como se cadastrar para receber o Auxílio Emergencial do Governo Federal pela Caixa

Como se cadastrar para receber o auxílio emergencial com o app da Caixa

A Caixa lançou  o aplicativo o APP CAIXA|Auxílio Emergencial e o site do auxílio emergencial para solicitação do benefício de R$ 600 a R$ 1.200 para ajudar trabalhadores autônomos, informais e microempreendedores individuais (MEIs) durante a crise do coronavírus. Ele terá duração de até três meses e pode ser prorrogado.

Como se cadastrar para receber o Auxílio Emergencial?

Quem não está no Cadastro Único poderá utilizar o aplicativo da Caixa Econômica Federal para fazer o cadastro e receber o pagamento do auxílio emergencial.

O app poderá ser acessado por celular de forma gratuita pelo APP CAIXA|Auxílio Emergencial ou no site auxilio.caixa.gov.br. O aplicativo está disponível tanto para celulares Android (clique aqui para baixar)  quanto iOS (clique aqui para baixar).

Requisitos para receber três mensalidades de R$ 600:

  • Tem mais de 18 anos de idade;
  • Não tem acesso a benefícios previdenciários ou assistenciais como seguro-desemprego, aposentadoria;
  • Não tem carteira assinada e preenche uma das seguintes condições: ser MEI (microempreendedor individual), contribuinte do Regime Geral da Previdência Social, trabalhador informal inscrito no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal;
  • Tiver contrato de trabalho intermitente inativo (como garçons, atendentes e outros profissionais que atuam e recebem conforme a demanda). Ou seja, se estiver sem remuneração;
  • Tem renda familiar (renda somada de todos os membros da família) abaixo de três salários mínimos (R$ 3.135) ou renda per capita (por pessoa) inferior a meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50);
  • Tiver cumprido o requisito de renda média até 20 de março de 2020 no CadÚnico;
  • Quem não tiver se cadastrado no CadÚnico até 20 de março poderá preencher uma ficha de autodeclaração no aplicativo a ser lançado pelo governo. O cadastro será verificado antes que o pagamento seja aprovado.

Requisitos para receber três mensalidades de R$ 1.200:

  • Pais e mães que forem chefes de família sem companheiro poderão receber o benefício dobrado no valor de R$1.200,00.

Bolsa Família e acúmulo de benefícios

  • Quem tiver o Bolsa Família também tem direito ao auxílio, mas terá de abdicar de um dos benefícios e ficar com o que for mais vantajoso financeiramente;
  • Até duas pessoas por família poderão receber o auxílio emergencial de R$ 600. Ele também poderá ser combinado com o Bolsa Família. Por exemplo: a mãe recebe o Bolsa Família e o pai recebe os R$ 600, contanto que preencham os requisitos de renda limite. Ou ambos recebem o auxílio emergencial, se for mais vantajoso;
  • Benefício de Prestação Continuada (BPC) poderia ser recebido por mais de um membro da família. No entanto, o cálculo da parcela vai levar em conta a renda familiar já somada ao BPC de quem já o recebe.

Calendário de pagamentos

O benefício deixará de ser pago nos seguintes casos:

  • Tenha emprego formal ativo;
  • Pertence à família com renda superior a três salários mínimos (R$ 3.135,00) ou cuja renda mensal por pessoa maior que meio salário mínimo (R$ 522,50);
  • Está recebendo Seguro Desemprego;
  • Está recebendo benefícios previdenciários, assistenciais ou benefício de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família;
  • Recebeu rendimentos tributáveis acima do teto de R$ 28.559.70 em 2018, de acordo com declaração do Imposto de Renda.

Em caso de dúvidas, a Caixa disponibiliza a central telefônica 111. Não será possível se cadastrar no programa pelo telefone, apenas tirar dúvidas.

Fontes: Portal G1, Gov.br, Caixa

Veja também:

+ Máscara de tecido: moldes, dicas e cuidados para fazer e se proteger

+ 9 Dicas para cuidar do seu pequeno negócio em tempos de crise

Engenheira de produção de formação, apaixonada por empreendedorismo, DIYs, artesanato e tudo relacionado a ele. Acredita que só é feliz quem sonha grande e ao mesmo tempo é genuinamente grato por tudo que tem! Escreve aqui no Blog e também no Academia Craft Academiacraft.com.

Veja mais posts deste autor.