Home | Negócio Criativo | Peter Paiva: reciclar-se é preciso

Peter Paiva: reciclar-se é preciso

Reciclar-se, dar uma nova cara para a sua arte, conhecer novos rumos para o que você faz, aperfeiçoar-se, enfim, dar-se uma nova chance de vencer é preciso quando percebemos que podemos ir mais longe.

Sabe, eu amo desafios e isso me faz sempre ansiar por uma nova fase. Hoje eu vou contar um pouco mais de mim. Acabei de passar dez dias fora da minha vida, conhecendo o que tem de melhor, me dando a chance de achar que estou precisando aprimorar os conhecimentos, meu visual, apresentação e tudo que envolve o meu comportamento.

Acabo de me redescobrir! Sei mais sobre o meu potencial e tudo que eu posso fazer usando a minha mente e a minha ação. Então me pergunto o que será que falta para colocar esse potencial para fora. Essa dúvida sempre vem, não é? Essa é a parte que mais adoro, ou melhor: amo! A fase do sonhar com os pés no chão… Eu me rotulo como um sonhador com os pés no chão, isso mesmo! Acho que planejar, sentir o que você realmente tem em mãos como instrumento e material, isso tudo tem sim que vir junto ou logo após o sonhar.

Sonhar é obrigatório, realizar é uma escolhaSabe, sonhar é obrigatório, mas realizar é uma escolha. É algo que requer muito mais que apenas vontade, e sim persistência. Fazer valer é bem importante, mas fazer com todos os detalhes, tentar errar menos, buscar o foco o tempo todo e por fim se permitir acertar! Isso não é fácil, mas é super possível para aqueles que olham os detalhes. Estes não passam despercebidos pelas atitudes e comportamentos dos outros.

Outro ponto importante é buscar pessoas em que nós possamos nos espelhar e até mesmo nos apoiar quando mais se precisa. Falo isso porque estou prestes a começar essa mesma história: o gás de dentro da gente, a vontade de acordar mais cedo, o medo de fraquejar… Sim, a mesma! Não é engraçado como comecei com o reinventar e agora falo em “fazer o mesmo”? Sim, o mesmo sentimento mas com o foco de vencer uma nova etapa. Isso muda tudo e ao mesmo tempo é preciso manter o fogo da paixão pelos nossos afazeres.

Vamos lá! Podemos descobrir esta hora quando tudo parece estar perfeito, ou naquela hora em que tudo está do jeito que você sonhou, em que você percebe a falta do tesão de um novo desafio. Este tema pra nós, designers manuais, é de suma importância. Somos levados pelos nossos sonhos mas também conduzidos por nossas experiências. Na hora do vamos ver, não tem patrão para mostrar o jeito correto e muito menos para fazer um adiantamento e pagar a fatura. Então é preciso sim ser tudo isso e mais um pouco se você decidiu vencer fazendo o que você sonha se tornar útil, casual e desejado pelo povo. Temos que encarar profissionalmente o que fazemos, pois isso vai ser nossa história lá na frente e a base para projetos futuros. Sem cerimônia nenhuma eu digo: gente fracassada e sem estímulo está cheio por aí, já vimos como são, já anotamos o que não queremos para a gente e agora é botar a vida para acontecer.

Tudo o que vejo, os lugares que ando, o jeito que eu vejo as pessoas vivendo, isso tudo me inspira. Ver um lugar maravilhoso, cheio de padrões, cheio de riqueza e de inteligência, só me faz pensar que terei isso no meu rótulo também. Por que não? Nossa, se eu pensar que eu quero aquilo também para mim e hoje só tiver uma janela pequenina para mostrar isso, pode ser uma cesta, pode ser a mesa da feira do colégio, onde for!

Esse vai ser o local que eu vou fazer o mundo me ver! Tudo tem seu valor e tem que ter seu início. Tem muita gente por aí usando a desculpa de que “está começando” para não pensar nos detalhes e não ser caprichado. Isso se chama preguiça ou falta de capacidade e prometo falar nisso no próximo post, me aguardem…

Agora vou sonhar mais um pouco nas horinhas que tenho de vôo antes de chegar ao Brasil, aí eu colocarei meus pés no chão e ninguém me segura… A nossa vida é e tem que ser assim, para as coisas boas não podemos ter limites e se depende exclusivamente do nosso fazer, então bora lá que seus minutos também estão rolando.

Beijos e obrigado mais uma vez pela atenção e toda confiança!

bool(false)
Um leonino singular, um designer de sonhos. Artesão por vocação, artista por paixão, professor e apresentador de TV, tem um programa exclusivo na Rede Aparecida "Tudo Artesanal" e está diariamente no "Tudo Simples", do canal Bem Simples. Adora repassar o conhecimento que adquiriu em suas experiências internacionais e mostrar sua visão positiva e engajada sobre o artesanato. Acesse.

Veja mais posts deste autor.

7 comentários

  1. Marcia Toledo

    Amei

  2. Marcia Toledo

    Amei

  3. Marcia Toledo

    Amei

  4. Atelier Mima Mimo´s

    Concordo!

  5. Gláucia Vendrame

    E isso ai Peter Paiva ( Lauril do Brasil), você faz com que as pessoas sonhem junto com você,e que com sua perseverança elas levem os seus sonhos a realidade,sou um exemplo disso,amo seus trabalhos e mesmo sem encontrar bons materiais cá estou eu com meus 1º sabonetes,claro com suas receitas.
    Parabéns pelo seu trabalho e dedicação a todas nós suas fãs,de todo o Brasil.
    Lauril é vida!
    bjs meus.

  6. Bom, Peter, primeiro quero dizer que amei este título de designer manual e vou avisando que vou usar! =)

    Trabalhei com design de interiores (tenho formação nisso), adoro projetar, mas hoje, fico me perguntando o que eu sou!
    Sei que sou curiosa, sou insaciável, sou {quase} incansável e hoje, vc trouxe a palavra que faltava! Sou designer manual! o/
    Esse negócio do tesão… putz! É exatamente assim com quem trabalha com a criatividade.
    Quando tudo está ficando calmo, dá uma coceira, um siricutico e a gente não consegue ficar feliz enquanto não aparecer um novo interesse, um novo tema!
    Adoro seus posts, admiro muito seu trabalho e agradeço por compartilhar estes pensamentos!!!
    Muito sucesso pra vc!
    Jo
    Banana-cazza

  7. “fazer o mundo me ver” de onde estiver e do tamanho que for, mesmo que pequenos. Quando temos essa visão, a coragem pra começar e pra seguir adiante nos toma e agente simplesmente vai. Daí as coisas começam a acontecer sem percebermos e de repente já é. Muito legal mesmo.
    Essa coisa do tesão pelo que fazemos, “o siricutico” que a colega diz (adorei essa), é exatamente assim, porque a energia que nos move a criar é pulsão sexual mesmo. A arte é uma das melhores maneiras de dar conta dessa pulsão que movimenta o ser humano. Não por acaso Picasso pintou o que pintou.
    Parabéns pelo post. Muito sucesso pra vc, Eline